segunda-feira, 7 de setembro de 2009

JERRY SIEGEL

"Em 1933, os Estados Unidos sofriam as consequências da grande depressão. O mundo estava cheio de injustiças e a ameaça de guerra pairava sobre a Europa. Então, eu vivia me perguntando: o que faria se pudesse melhorar tudo isso? O que faria se não fosse tão fraco... se fosse o homem mais forte da Terra?"

Aos 19 anos, Jerry Siegel não conseguia pensar em outra coisa, enquanto tentava uma carreira como argumentista de história em quadrinhos. Até que, um dia, teve uma inspiração. Siegel passou aquela noite sem dormir, escrevendo o argumento para um novo personagem - um homem de outro planeta que podia dobrar barras de aço, cruzar os céus e não ser afetado pelas balas de um revólver - "um personagem que fosse como Sansão, Hércules e todos os homens poderosos que eu conhecia".

Quando amanheceu, Siegel correu até a residência do artista Joe Shuster para lhe mostrar o argumento. Seu amigo também ficou entusiasmado e traçou a sua concepção do novo personagem: nobre, vistoso e forte - um homem superior a todos os outros. Um Super-Homem.

A dupla passou cinco anos procurando um editor que compartilhasse de sua visão. Até que, em 1938, Sheldon Mayer, que trabalhava para o McClure Syndicate, mostrou a história ao seu chefe, M. C. Gaines. Nessa época, Harry Donenfeld, da recém-formada DC, estava procurando material para completar o primeiro número de Action Comics e entrou em contato com Gaines que tinha a primeira aventura do Homem de Aço em sua mesa. Finalmente, alguém iria publicar o Super-Homem.

Action Comics 1 foi uma sensação. Todos os números com o grande herói na capa eram vendidos imediatamente, assim como a sua própria revista, lançada em seguida. E, na trilha do primeiro voo do Super-Homem, toda uma indústria de histórias em quadrinhos foi criada.


Fonte: SUPER-HOMEM # 24 (JUNHO/1986)