sábado, 3 de outubro de 2009

SUPERMAN

Todas as nossas histórias, de alguma forma, envolvem a perda de pais em algum ponto de nossas vidas. No entanto, Superman perdeu muito mais. Ele é o último sobrevivente de uma raça alienígena de um planeta chamado Krypton, um mundo que, segundo soube, desabou sobre seu próprio núcleo devido ao abuso de seu povo de seus recursos naturais. Momentos antes da destruição, os pais do Superman, Jor-El e sua mulher Lara, enviaram o filho numa espaçonave experimental para encontrar vida nova e segurança do outro lado do universo, num pequeno planeta conhecido como Terra. Um casal sem filhos, os Kent, encontraram a nave caída e uma criança dentro dela. Eles jamais informaram as autoridades sobre o foguete ou o órfão, acreditando que suas preces pela vinda de um filho tinham sido atendidas. Eles batizaram o bebê de Clark Kent.
Embora pareça quase invulnerável pelos padrões humanos, sua principal fraqueza fisiológica, ironicamente, são os resíduos de seu planeta natal, Krypton. Essa kryptonita, dependendo da quantidade e do tempo de exposição, pode matar o Superman.
O Superman foi adotado. Talvez isso tenha determinado sua atuação neste mundo. Tal circunstância formou seu senso básico de esperança, mesmo depois da destruição. Ele acredita que o mundo pode ser mudado para melhor. No entanto, esta esperança pode ser uma fraqueza para ele, assim como a kryptonita. Clark é seu disfarce humano, agindo entre nós como um repórter do Planeta Diário em Metrópolis. É assim que ele mantém ciente dos eventos mundiais e é capaz de estar em toda parte, quase ao mesmo tempo.
Sua fisiologia alienígena permite que ele voe. Todos os seus sentidos são ampliados a ponto de poderem ser usados tanto ofensiva quanto defensivamente. E as balas das quais ele decide não se esquivar ricocheteiam nele. Diferente de nós. Diferente do povo da Terra. No entanto, ele ainda é semelhante aos humanos na compaixão, que é tanto uma força quanto uma fraqueza. Não há dia em que ele não arrisque a própria vida, sem se preocupar com o preço, por aqueles que mais necessitam dele. Embora sua fisiologia faça dele um alienígena, Clark é humano num grau que chega a ser frustante.

DOS ARQUIVOS PARTICULARES DE BRUCE WAYNE NO BATCOMPUTADOR

Fonte: JUSTIÇA # 5 (JULHO/2007)