sábado, 17 de outubro de 2009

HERA VENENOSA

DOS ARQUIVOS PARTICULARES DE BRUCE WAYNE NO BATCOMPUTADOR

Pamela Isley é perigosamente insana. Devido a esse fato, não pode ser abordada apelando apenas à sua mente. Trata-se de um engano que, creio eu, cometem muitos tratamentos psicológicos modernos. Somos muitos mais complexos do que qualquer sistema teórico pode conceber.
Ela se tornou criminosa por amor, ou aquilo com que muitos confundem com amor. Isley veio de uma família rica e teve o que seria considerada uma infância normal. Na faculdade, ela se formou em botânica e se apaixonou por seu professor. Ele a enganou com promessas de amor e casamento. Convenceu-a roubar a exibição de um museu local.
O que ela roubou foi uma urna contendo antigas ervas venenosas. No entanto, as ervas, destinadas a envenenar e matar Isley, mesclaram-se com sua fisiologia única, transformando-a, mudando-a, tornando-a imune a todos os venenos. Seu sexy appeal é agora uma arma que ela usa contra todos os homens, em geral por meio de seu batom venenoso. Minha recusa em ser manipulado por seus encantos apenas levou-a a me odiar mais.
Sua imunidade a venenos e sua feminilidade selvagem não são suas únicas armas. Na verdade, esses dons não são nada comparados à sua inteligência e conhecimento da vida vegetal. Ela comanda e manipula as formas de vida necessárias para que todas as criaturas na Terra respirem. Isso, por si só, faz dela um dos seres vivos mais perigosos do planeta.

Fonte: JUSTIÇA # 5 (JULHO/2007)