domingo, 30 de agosto de 2009

O ATAQUE DE WERTHAM





Com o fim da Segunda Guerra, os Estados Unidos assumiram uma postura anti-comunista e conservadora. O medo de uma guerra contra os russos e o zelo pela moral e pelos bons costumes geraram uma verdadeira caça às bruxas que se estendeu a todas as classes sociais e áreas da sociedade americana, inclusive os quadrinhos.
O psicólogo Fredric Wertham foi o maior perseguidor dos quadrinhos nessa época, publicando o famigerado livro Sedução do Inocente em 1954. Um dos maiores alvos do livro foi o Homem-Morcego. Wertham alegava que era impróprio que um homem solteiro vivesse sozinho com um jovem órfão e um mordomo, o que insinuaria tendências homossexuais nos personagens. Usando imagens e textos das histórias, claramente fora de contexto, o senado defendia que as aventuras do Morcego levavam a garotada rumo à violência, à delinquência juvenil e à homossexualidade. Essas acusações perseguiram o personagem por muitos anos, o que levou os editores a abrandarem suas histórias e a introduzirem novos personagens.


FONTE: MUNDO DOS SUPER-HERÓIS # 11 - JULHO/AGOSTO 2008