quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Círculo do Livro

IRVING WALLACE

O complô
"The plot"


(1967)



"É caso para temer quando os tiranos parecem beijar."
Shakespeare, 1608


"Sê paciente, alma minha: já passaste por coisas piores."
Homero, c. 800 a.C.




I


Olhou em frente, à espera.
Estavam atrasados.
Sentiu-se tentado a desviar o olhar atento da Houston Street para o frondoso outeiro em declive da ponte da estrada de ferro, à direita, para ver se o outro também estava à espera. Mas sabia que não ousaria distrair-se.
Ajoelhando-se perto da janela, na esquina do sexto andar, protegido da porta pelo semicírculo de caixas de papelão com livros, e pelo rebordo da janela meio aberta, descansou a mão esquerda enluvada na coxa e a mão direita nua na coronha do rifle, a seu lado, apoiado em três pilhas de caixas.
Concentrou-se na faixa da rua, lá embaixo. Já estavam com cerca de cinco minutos de atraso. Contudo, não se moveu e continuou à espera.
E então, a curta distância, viu-os. O desfile de carros tornou-se visível assim que virou da Main Street para a Houston. Mentalmente, contou-os. Primeiro, os motociclistas. Segundo, o carro-piloto. Terceiro, outra formação de motociclistas. Quarto, o carro principal. Quinto, a limusine Lincoln 1961, a limusine aberta sem teto de plástico transparente, com seus quatro ocupantes atrás, dificilmente identificáveis.
Seus olhos semicerraram-se e fixaram-se na limusine Lincoln só quando ela começou a mover-se, lentamente, para o norte da Houston Street, em direção à Biblioteca Escolar do Texas e, finalmente, à Triple Underpass.
Sempre atento, viu a limusine, de cromados brilhando ao sol, alcançar o cruzamento da Houston com a Elm e depois iniciar uma lenta curva para esta última, rumo a um pequeno declive a sudeste, passando por ele com destino à Triple Underpass e à via expressa.
Cravou os olhos no mostrador do grande relógio de pulso, por cima da mão enluvada. Eram doze horas e trinta minutos.
Sem pressa, utilizando as duas mãos, desprendeu a mola de segurança da Mauser 7.65, ajustou a coronha de madeira ordinária ao ombro, apoiou firmente o cano na parte superior de uma caixa inclinada, passou o rifle através da janela meio aberta e encostou o joelho à parte inferior dessa janela do sexto pavimento.
Calmamente, fez mira com o olho direito colado no potente telescópio ajustado no cano.


Tradução: SAMPAIO MARINHO

(827 págs.)