quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Círculo do Livro

MALBA TAHAN

O Homem
que Calculava


(1939)




CAPÍTULO I

No qual encontro, durante uma excursão, singular viajante. Que fazia o viajante e quais as palavras que ele pronunciava.

Em nome de Allah, Clemente e Misericordioso!(1)

Voltava eu, certa vez, ao passo lento do meu camelo, pela Estrada de Bagdá, de uma excursão à famosa cidade de Samarra, nas margens do Tigre, quando avistei, sentado numa pedra, um viajante, modestamente vestido, que parecia repousar das fadigas de alguma viagem.
Dispunha-me a dirigir ao desconhecido o salã (2) trivial dos caminhares quando, com grande surpresa o vi levantar-se e pronunciar vagarosamente:
- Um milhão quatrocentos e vinte e três mil setecentos e quarenta e cinco!
Sentou-se em seguida e quedou em silêncio, a cabeça apoiada nas mãos, como se estivesse absorto em profunda meditação.
Parei a pequena distância e pus-me a observá-lo, como faria diante de um monumento histórico dos tempos lendários.
Momentos depois o homem levantou-se novamente e, com voz clara e pausada, enunciou outro número igualmente fabuloso:
- Dois milhões trezentos e vinte e um mil oitocentos e sessenta e seis!
E assim, várias vezes, o esquisito viajante pôs-se de pé, disse em voz alta um número de vários milhões, sentando-se, em seguida, na pedra tosca do caminho.
Sem poder refrear a curiosidade que me espicaçava, aproximei-me do desconhecido e, depois de saudá-lo em nome de Allah (com Ele a oração e a glória) [3], perguntei-lhe a significação daqueles números que só poderiam figurar em gigantescas proporções.
- Forasteiro - respondeu o Homem que Calculava -, não censuro a curiosidade que te levou a perturbar a marcha de meus cálculos e a serenidade de meus pensamentos. E já que soubeste ser delicado no falar e no pedir, vou atender ao teu desejo. Para tanto preciso, porém, contar-te a história de minha vida!
E narrou o seguinte:



1 O árabe muçulmano não inicia uma obra literária, ou uma simples narrativa, sem fazer essa evocação ao nome de Deus. Vale por uma prece.
2 Saudação.
3 "Alá" ou "Allah" - Deus. Os árabes designam o Criador por quatrocentos e noventa e nove nomes diferentes. Os muçulmanos, sempre que pronunciam o nome de Deus, acrescentam uma expressão de alto respeito e adoração. O Deus dos muçulmanos é o mesmo Deus dos cristãos. Os muçulmanos são rigorosamentes monoteístas.


(346 págs.)