domingo, 30 de agosto de 2009

CYNTHIA
Título Original
CYNTHIA



E. V. CUNNINGHAM

Copyroght by William
Morrow and Company, Inc.

(1968)


Todos os direitos reservados à
Círculo do Livro.
Edição: 1974

Capítulo um

Alex Hunter, meu chefe, admira a coerência. Até hoje, ninguém o acusou de incoerente; ele é desagradável quando deseja ser e também ao pretender mostrar-se agradável. Correm rumores de que, em algum lugar, tem mulher e filhos. Não os invejo. Hunter é chefe do departamento de investigações da terceira mais importante companhia de seguros do mundo, e eu ainda continuo trabalhando para ele porque, quando me demite, os lá de cima conversam com ele e o abrandam, e também porque tenho de pagar aluguel e pensão alimentar, principalmente pensão alimentar. Está com quase sessenta anos, grisalho e ranzinza, e tem mentalidade de tira.
Cumprimentou-me com o tédio habitual nessa manhã de princípios de março e fez seu comentário sobre o tempo.
- Março é um mês chato pra burro - disse.
Interpretei isso como uma observação amigavelmente exploratória, e sabia que ele desejava alguma coisa que resultasse em dinheiro. Eu não fazia a mínima ideia do que pudesse ser. Nenhum grande desvio de jóias ultimamente, nenhum iate roubado, nenhum Picasso surripiado furtivamente de museu... Adotei minha expressão estupidificada, inocente e infantil, e disse com jovialidade:
- Bom dia, Mr. Hunter. Tem razão, senhor, em março o tempo aqui em Nova York é bastante inclemente.

tradução de Luiz Fernandes

(224 págs.)