domingo, 22 de dezembro de 2013

ONTEM & HOJE

A Era de Ouro não foi exatamente uma pepita de 14 quilates em termos de qualidade - confira aqui alguns dos mais sórdidos segredos do passado de nossos heróis favoritos

Action Comics (1938) 58-A
Comic Book by DC
Mar 1943

Com todos os palavrões, matanças e erotismo nos quadrinhos atuais, o que realmente precisamos é retornar aos tempos dos gibis inocentes e saudáveis da Era de Ouro, certo?

Errado! Os quadrinhos da Era de Ouro ofenderiam as delicadas sensibilidades da geração que cresceu assistindo à seriados como Nova York Contra o Crime e outros filmes sangrentos e violentos. As HQs dos anos 40 foram verdadeiros focos de "terrorismo". Onde mais a não ser nos gibis dessa época podemos encontrar ícones amados como o Superman, Capitão América e a Mulher-Maravilha matando impunemente, jogando com horríveis estereótipos étnicos e lidando com chocantes fantasias de dominação?

Prepare-se. Você ficará surpreso em ver como alguns de seus personagens preferidos mudaram nos últimos 60 anos (espere aí, o Demolidor ainda atira bumerangue?). E não se esqueça de comprar bônus de guerra, ou os nazistas imundos vencerão a parada!

SUPERMAN

ONTEM:
Em defesa da verdade, da justiça e do modo de vida americano? É melhor que seja! Nos tempos da Era de Ouro, "politicamente correto" era uma expressão sem sentido, e era perfeitamente aceitável que o Super colaborasse com o esforço de guerra pedindo aos garotos para "esbofetearem um japa" (Action Comics 58). Até mesmo a independente e séria repórter Lois Lane podia ser vista preparando "superdoces", numa tentativa de conquistar o coração do Homem de Aço (Superman 15). No entanto, não era de admirar que a paixão de Lois pelo Superman não se estendia a seu comportado alter ego. Quando o herói não conseguiu impedir que um mulher inocente morresse, em Action Comics 30, Clark aproveitou isso para ridicularizar seu rival em troca da afeição de sua colega de redação, dizendo: "Desculpe, mas é impossível não rir". Isso porque os dois são a mesma pessoa e uma pessoa havia morrido! Nossa!

HOJE:
Talvez por ser um estranho à nossa sociedade, não se vê mais o Super se envolvendo em questões raciais como outrora. Embora tenha adquirido a habilidade de voar só depois da Era de Ouro (quando conseguia apenas dar saltos de longa distância), ele parece ter perdido muitas das capacidades que manifestava só porque eram convenientes para a época, como hipnose, memória fotográfica e o pode de inventar uma "Pistola de Raios Krypto", que podia tirar fotos, revelá-las e projetá-las numa parede. Te cuida, Reed Richards!

Por Justin Aclin

WIZARD BRASIL #12 - Ano 1 - Setembro de 2004 - Panini Comics.