domingo, 8 de dezembro de 2013

ALÉM DE QUALQUER FRONTEIRA

Poucos quadrinhistas europeus fascinaram tanto os leitores como o francês Jean Giraud, que ganhou fama sob o pseudônimo Moebius

Por Mauricio Muniz


Ficção científica. Fantasia. Faroeste. Super-heróis. O ilustrador e roteirista Jean Giraud dominou praticamente todos os gêneros de quadrinhos e ainda se aventurou pelo mundo do cinema e dos livros. Falecido em março, foi um dos artistas mais completos e mais influentes que as HQs já tiveram. Obras como Blueberry, Arzach e Incal não só conquistaram uma legião de fãs, mas extrapolaram alguns limites da própria linguagem narrativa.

Nascido em um subúrbio na região leste de Paris em 8 de maio de 1938, Jean Henri Gaston Giraud passou por um trauma logo aos três anos de idade, quando seus pais se divorciaram e seguiram rumos distintos. Na ausência deles, o menino ficou sob os cuidados dos avós, que o criaram por mais de uma década. Para distrair o garoto da triste situação, o casal passou a presenteá-lo com gibis. Logo, o pequeno Jean já copiava os desenhos. Com o passar dos anos, aperfeiçoou seu traço e tornou-se um bom artista amador. Foi aí que surgiram suas primeiras HQs, geralmente relatos pessoais que, talvez por timidez ou insegurança, ele mostrava a poucas pessoas.

Segundo revelou em uma entrevista dada ao Comics Journal, em 1987, aos 14 anos Giraud já tinha planos de desenhar quadrinhos pelo resto da vida. Em 1954, aos 16 anos, matriculou-se em um curso de desenho na tradicional École Nationale Supérieure des Arts Appliqués, em Paris. Esse curso de um ano foi o único aprendizado artístico convencional que teria em sua longa, prolífera e criativa carreira.


MUNDO DOS SUPER-HERÓIS #32 - Abril de 2012 - Editora Europa.