segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

O REI DA ARTE FANTÁSTICA

Frazetta foi o mais famoso desenhista do estilo "espada e feitiçaria". Sua arte influenciou muitas gerações

Por André Morelli

Com a recente morte de Frank Frazetta, o mundo das artes gráficas perdeu um de seus mais importantes artistas. Com mais de 60 anos de uma carreira em que produziu tiras de jornal, quadrinhos de todos os tipos, uma variedade de pinturas para diferentes mídias e até uma animação longa-metragem - Fire and Ice, de 1983 -, Frazetta se tornou um dos ilustradores mais influentes do século 20.


Apesar de atuar como desenhista desde 1944, quando trabalhou ao lado de artistas como Al Capp (Ferdinando) e Dan Barry (Flash Gordon), a carreira de Frazetta ganhou novo rumo em 1963, quando iniciou a histórica série de capas para livros de aventura e fantasia, como John Carter de Marte, Tarzan e Conan, o Bárbaro. O traço realista, a técnica impecável de pintura, as mulheres sensuais e as cenas de batalha criadas por Frazetta ajudaram a definir o gênero e até hoje servem de inspiração de inspiração para todo ilustrador que se aventure pelo estilo que ficou conhecido como "espada e feitiçaria".


O trabalho de Frazetta já foi reproduzido também em capaz de discos de diversos artistas de metal e hard rock, como Nazareth, Molly Hatchet, Dust, Yngwie Malmsteen e Wolfmother. Fora os cartazes para filmes de Hollywood, como Rota Suicida (1977) e Um Drink no Inferno (1996).


Frazetta também é lembrado por sua passagem pela Warren Publishing, onde criou diversas capas para as revistas de terror Creep e Eerie, além de ter contribuído na criação de Vampirella, a mais famosa personagem da editora. Em 2003, foi lançado Frazetta: Paintings With Fire, documentário que aborda a carreira do artista e seu processo de criação.

Nos últimos anos, Frazetta enfrentou diversos problemas de saúde, incluindo um derrame que prejudicou os movimentos de seu braço direito. Mas nem isso o impediu de continuar produzindo: o veterano ilustrador passou a desenhar e pintar com a mão esquerda.

Em 2009, ganhou destaque na mídia a tentativa de roubo de cerca de 90 obras do artista, instaladas no Frazetta Art Museum, na Pensilvânia. Para surpresa da polícia, o autor do roubo foi Alfonso Frank Frazetta, um dos filhos do ilustrador. O crime está relacionado à disputa que os filhos de Frazetta vem travando pelas pinturas do pai, que a cada ano atingem valores mais altos no mercado de colecionadores. Para se ter ideia da atual valorização do artista, as pinturas envolvidas no incidente estão avaliadas em 20 milhões de dólares e meses antes da tentativa de roubo, a venda de uma única pintura de Frazetta em um leilão atingiu a impressionante quantia de 1 milhão de dólares.


A obra em questão é Conan the Conqueror, pintura feita em 1967 para a editora Lancer. Frazetta morreu no dia 11 de maio de 2010 aos 82 anos.

MUNDO DOS SUPER-HERÓIS #22 - Julho/Agosto de 2010 - Editora Europa.