domingo, 29 de março de 2009

No Amor, nem tudo que parece é

O maior problema da Lebre é ser algo totalmente diferente do que é, gerando a sensação de que quem a conquista, comprou gato por lebre. De espírito gregário, gosta de estar cercada de gente, mas é ao mesmo tempo retraída e reservada. Isso se reflete claramente no amor. Deseja estar com alguém, mas tem necessidade absoluta de privacidade e de que respeitem seu espaço. Sua visão de amor é romântica e estilizada, como uma velha página de contos de fadas. Tem dificuldades de mostrar o que sente, especialmente quando se aborrece, pois é sempre gentil, esperando que seu par leia seus pensamentos e adivinhe o que fez de errado. Como são poucos os paranormais no mundo, a Lebre acaba ficando cada vez mais irritada até calar-se ou ficar amuada, sem que seu par saiba porque.
A individualidade da Lebre afasta-a de compromissos, mas ela sabe honrá-los como ninguém. Uma vez que se decide, a Lebre será uma companheira divertida e fiel. A mais leve sombra de dúvida faz a Lebre recusar-se a embarcar num casamento. Quando a Lebre se casa, no entanto, é muitíssimo exigente. Sua exigência aliada a suas maluquices acabam fazendo seu par arrepender-se com o tempo.