domingo, 29 de março de 2009

INVASÃO SECRETA

Um pouco além do aspecto criativo da história, quanto dela vai ser usada para jogar fora o que não funciona mais? Vai acontecer algo como “bagunçamos demais com Tony Stark. O Homem de Ferro vai ser um skrull.”?

BENDIS: não. O maior erro que se pode cometer com uma história dessas – e isso se aplica a Dinastia M também – é apagar as coisas. Decidimos que a história deveria ser forte independentemente de quem é ou não skrull. Escolhemos quem seriam, e é isso – acabou. Essa é a ordem mesmo pros outros roteiristas. Mesmo pra eles, que sabem quem é skrull, porque se começam com essa história de “todo título tem um skrull” fica sem graça, é tudo dissolvido: fica tudo uma #$@!*, basicamente. Escolhemos quem seriam os invasores uns dois anos antes da série.
Então, sem saídas fáceis. Quero dizer, sobre o que você falou de Stark, o fascinante é que isso não precisa de conserto. Amo o fato de ele estar piorando a situação pra todo mundo nas revistas. É a reação correta. Ele é interessante e tem um ponto de vista singular. Tony aparece em todos os títulos agora! É como um novo Wolverine. Toda a interação com ele é fascinante.

Você já está se preparando para alguma mudança que sabe que será considerada controversa?

BENDIS: ah, sim, tem duas. Tem uma coisa que eu aprendi: qualquer revelação que eu faça deixa um pessoal nervoso e outro dizendo: “imagina”. E logo depois alguém exclama: “caraca! Não acredito que você fez isso”. E então: "ah, eu já sabia”. Eu sei qual das revelações mal posso esperar pra revelar, mas não sei qual das duas vai ter uma maior reação. É difícil dizer.