terça-feira, 8 de novembro de 2011

A FASE DE NEAL ADAMS

NO FINAL DOS ANOS 60, O DESENHISTA NEAL ADAMS REVOLUCIONOU O VISUAL DO BATMAN E RESGATOU SUAS HISTÓRIAS SOTURNAS E MISTERIOSAS

Brave and the Bold (1955) 79-A
Comic Book by DC, Sep 1968

Muitos classificam O Cavaleiro das Trevas como a obra que levou Batman de volta às suas origens soturnas. Mas Frank Miller não foi o primeiro a fazer isso. Em 1968, o desenhista Neal Adams costurou o primeiro ressurgimento do Morcego.

Na época, os quadrinhos do herói tinham o mesmo tom cômico e pueril do seriado de TV, em que o barrigudo Adam West interpretava o defensor de Gotham City. Neal Adams pediu ao editor Julius Schwartz uma chance de desenhar Batman e obteve como resposta um "caia fora da minha sala".

Brave and the Bold (1955) 80-A
Comic Book by DC, Nov 1968


Mas o destino conspirou a favor do autor, dos fãs e do personagem. Adams foi escalado para desenhar Brave and the Bold, um título complementar em que o Morcego encontrava outros heróis. E retomou o Batman como um misterioso Cavaleiro das Trevas. As histórias voltaram a ter a noite como cenário e isso chamou a atenção dos leitores, especialmente devido ao traço anatomicamente perfeito e ao ótimo domínio das técnicas de luz e sombra.

Ao ser indagado pelo editor sobre a razão de tanto sucesso, Adams disparou: "Este é o Batman verdadeiro, qualquer garoto americano sabe. Os únicos que parecem não saber como ele deveria ser são vocês da DC". O desenhista estava certo. Bastou voltar aos conceitos criados por Bob Kane, o "pai" do herói, para os fãs retornarem.

Brave and the Bold (1955) 81-A
Comic Book by DC, Jan 1969

Não demorou para Neal Adams migrar para os principais títulos do Homem-Morcego. Quando ganhou a companhia do roteirista Denny O'Neil, ambos criaram uma das melhores fases do personagem, com histórias que resaltavam o tom misterioso e mostravam o maior detetive do planeta desvendando casos e mais casos.

Adams e O'Neil deram vida, em 1971, ao temível Rã's Al Ghul, praticamente imortal graças aos milagrosos Poços de Lázaro, que o rejuvenescem de tempos em tempos (Ken Watanabe interpreta o vilão no filme Batman Begins). E, alguns números depois, criaram a voluptuosa Tália, filha de Rã's, que chegou a ter um filho de Batman na graphic novel O Filho do Demônio (publicada no Brasil pela Abril, em 1989).

Batman (1940) 251-A
Comic Book by DC, Sep 1973

Ainda hoje, o trabalho da dupla é reverenciado por fãs e outros autores, por ter resgatado de vez o verdadeiro Batman. E Adams é, na opinião de muitos leitores, o melhor desenhista que o Cavaleiro das Trevas já teve.

Batman (1940) 244-A
Comic Book by DC, Sep 1972

autores
Neal Adams (desenhos) e vários (roteiros)

lançamento nos EUA
1968 (The Brave and the Bold 79)

estreia no Brasil
1969 (Batman [3a. série], Ebal e várias outras edições)

onde encontrar
a edição nacional mais recente com histórias de Neal Adams chama-se A Noite do Ceifador, foi lançada em 2003, em preto-e-branco, pela Opera Graphica e está disponível no www.submarino.com.br. Em sebos é possível encontrar edições desenhatas por ele em revistas da extinta Ebal e da Abril (Batman 1a. série). Nos Estados Unidos, procure as compilações Batman Illustrated by Neal Adams 1 e 2. Ambas podem ser adquiridas, via internet, no www.amazon.com.

dica do Cris
Na Comix você encontra Biblioteca DC - Batman por Neal Adams vol. 01.