sábado, 12 de novembro de 2011

Escorpião

Nascidos entre 23 de outubro e 22 de novembro



É o permanente controle desse signo estável que permite ao escorpiano esperar às vezes anos a fio para conseguir seus intentos, não perder nada, não esquecer nada. É uma notável fórmula de sucesso.

O caso é que nem sempre é o sucesso que motiva o escorpiano. Certamente, há aqueles escorpianos que, frustrados em sua vida afetiva, fazem do poder absoluto seu objetivo final. Mas essa é uma expressão patólogica do signo, não genuína. Faça alguém sofrer demais, e você o verá lançar mão do poder para compensar esse sofrimento. A verdadeira chave para a enorme determinação de Escorpião para fazer algo de si mesmo se acha nas profundezas de sua própria alma secreta. Seu coração é sempre um campo de batalha, pois os elementos masculino e feminino estão em constante combate, forçando-o a mergulhar em suas próprias motivações muito além do que nossa sociedade extrovertida considera sadio. Ele tem toda a sensibilidade feminina dos signos de água, mas é regido por Marte, o deus da guerra, e por Plutão, o senhor da morte. Em nossa cultura ocidental nos ensinam desde muito cedo que o excesso de instrospecção é uma atitude negativa, e que as pessoas que agem assim são neuróticas ou egoístas. Mas o escorpiano vê a coisa de maneira diferente, e talvez até esteja certo, pelo menos em se tratando de seu destino. Para ele não se trata de uma incubação neurótica, mas de uma maneira de tentar achar a verdade sobre si mesmo e sobre a vida. Para Escorpião é ultrajante ficar na superfície da vida. Ele despreza a superficialidade quase tanto quanto a fraqueza de caráter. Ele tem de entender por que sente com sente, por que age como age, por que os outros agem e sentem como agem e sentem. Ele cava e explora regiões que qualquer outro signo abandonaria correndo para ir a uma praia ou discoteca. Afinal, o escorpiano tem de entender a si mesmo e fazer uma espécie de armistício com as forças guerreiras de sua natureza que não lhe dão trégua.



Todo escorpiano traz dentro de si uma ferida de algum tipo, um problema emocional ou sexual, um conflito ou uma frustação para o que - não importa o quanto ele o tente - não encontra solução. Normalmente, quem cria o problema é ele; afinal, ele tem uma queda para criar crises e em seguida se lançar contra o inimigo em grande estilo dramático. É mais do que uma simples encenação: é o segredo da tendência autodestrutiva de Escorpião. Este é o motivo pelo qual ele se fere, aguilhoa a si mesmo com algo que não pode dominar. Isso o estimula a conseguir algo de si mesmo, o que na verdade é bem mais importante para ele do que outras realizações.



Ele poderia recitar para si mesmo estas linhas do poema de William Ernest Henley:

"Eu sou o dono do meu destino,
Eu sou o capitão da minha alma".