segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O OUTRO PAI DO HOMEM-ARANHA


Discreto e misterioso, Steve Ditko, o cocriador do Aranha, é um dos artistas mais singulares dos gibis

Por Maurício Muniz

Dono de estilo e imaginação ímpares, ele foi bem mais do que um simples desenhista, como muitos imaginam. Em sua passagem pelo título do Homem-Aranha, Steve Ditko desenvolveu as principais tramas do herói e, após sair da Marvel, criou alguns dos mais conhecidos personagens do mercado, em um legado que perdura até hoje.

Filho de pais tchecos, Stephen J. Ditko nasceu em 2 de novembro de 1927 na cidade de Johnstown, estado da Pensilvânia. Apesar da infância marcada pela pobreza, o artista teve bons momentos graças ao amor do pai, um carpinteiro também chamado Stephen, e às histórias em quadrinhos, principalmente as do Príncipe Valente, de Hal Foster. Desde cedo, o garoto foi exposto aos heróis de papel e seu interesse intensificou-se com o surgimento de Batman, em 1939, e Spirit, em 1940.

O Homem-Morcego logo ocupou um lugar especial na imaginação de Ditko, a ponto de pedir para sua mãe, Anna, que lhe criasse uma roupa igual à do herói. Para Mike, o melhor amigo do garoto, Anna costurou uma réplica do uniforme de Robin, e os dois meninos divertiam-se pelas ruas de Johnstown em aventuras imaginárias. Logo, o jovem Ditko tornou-se um grande admirador do trabalho de Jerry Robinson, o desenhista principal das HQs de Batman. Adolescente, passou a desenvolver seus dons artísticos e decidiu que se tornaria um artista dos quadrinhos.

Ditko formou-se no colegial em 1945 e, como estava em idade de prestar o serviço militar, foi mandado por algum tempo para a Alemanha. Quando voltou, tentou perseguir a carreira artística, embora o pai fosse contra, por achar que o jovem não conseguiria se sustentar. Por influência de Stephen, fez um curso que ensinava a criar letreiros para placas e cartazes. Mesmo assim, continuava a se aprimorar, criando ilustrações com grande influência do estilo de Jerry Robinson.

Nova York sempre foi o maior pólo de criação de quadrinhos nos Estados Unidos. Assim, em 1950, Ditko resolveu mudar para lá para estudar desenho. Para tanto, fez uso de um fundo do governo que ajudava nos estudos de ex-soldados. Mas o rapaz não queria frequentar qualquer escola. Ao descobrir que Jerry Robinson começara a lecionar na famosa Cartoonists and Illustrators School, inscreveu-se nela e passou a ter aulas diretamente com seu ídolo, um dos homens que o influenciara a seguir carreira nos quadrinhos. Logo, Ditko destacou-se com seus estilo dinâmico e sua criatividade. Após dois anos de estudos, começou a procurar trabalho em diversas editoras.

Primeiro trabalho profissional de Ditko
Daring Love 1 - setembro de 1953

Fonte: Mundo dos Super-Heróis - Número 28 - julho/agosto de 2011
pág. 59