segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Escorpião

Nascidos entre 23 de outubro e 22 de novembro


O mito

Primeiro, vamos observar a figura que simboliza o Escorpião. Na astrologia muito antiga - a egípcia, a caldéia e a hebraica - o Escorpião não era representado pelo nosso escorpião, mas sim pela serpente. Este é um símbolo muito profundo, que nos conta muito a respeito de Escorpião. Em primeiro lugar, a serpente troca sua pele ciclicamente, e os antigos a consideravam imortal e capaz de constante auto-renovação. Esse exemplo da serpente, de crescer além da pele, deixá-la cair e criar uma nova acontece na vida do Escorpião. Muitas vezes sua vida se fragmenta em diversos capítulos, à medida que ele passa de um ciclo para outro, tudo progredindo para a última destruição. Aí ele reconstrói e começa tudo de novo.


Na mitologia antiga, a serpente é também o símbolo da sabedoria da própria Terra - eterna, antiga, conhecedora do segredo da vida de todas as coisas. Ela se move junto ao solo e ouve o segredo das raízes das coisas. Na Bíblia, a serpente é o Diabo, o pai da mentira, aquele que tentou Eva no paraíso. Ela é Lúcifer, o anjo caído. Você pode ver que ela tem duas caras. Você pode tomá-la pelo escuro ou o claro, o bem ou o mal, pois ela contém os dois. E o mesmo acontece com Escorpião. Ele tem grande poder tanto para o bem como para o mal, tanto para salvar como para destruir. Goethe (Escorpião ascendente) criou uma figura tipicamente escorpiana em Fausto, preso entre os extremos do céu e do inferno. O escorpião que se encontra na mais recente mitologia grega é sob certos aspectos um animal menos representativo, mas ele pode nos dar algumas indicações muito válidas sobre o temperamento das pessoas de Escorpião. Primeiro, ele é um animal que vive isolado. Você não encontra hordas de escorpiões errando no deserto, comendo moscas juntos. O escorpiano também não é uma criatura coletiva. Ele normalmente não gosta de multidões, detesta festa barulhentas e prefere um pequeno círculo de amigos de confiança ou somente um amante. Se bem que o Escorpião seja uma criatura mortal (nem todas as variedades tem uma picada fatal, mas todos dão mordidas perigosas), ele é completamente desprovido de agressividade. Os escorpiões não atacam outros animais. Por outro lado, se você for bobo o bastante para pisar num deles - bem, o problema é seu, não é? Você deveria ter olhado por onde pisava. Ataque essa pequena criatura, e ela irá atacá-lo para matar, não importa o seu tamanho. As pessoas de Escorpião tem um senso acurado de justiça. Elas não acreditam nem um pouco nessa história sentimental de dar a outra face. Você deve devolver do jeito que recebeu, pois esta é a única maneira de sobreviver. Os escorpiões não dão bons mártires - a não ser alguém como Gandhi, cuja postura era necessária para provar algo.


Existe uma lenda fascinante a respeito do escorpião: se você o cercar e não lhe deixar saída, ele mesmo se ferroará para morrer. Isto parece um tanto apócrifo, mas eu mesma já o presenciei. Certa vez, no sul da França, um bando de crianças rodeava um pequeno escorpião marrom com paus, de maneira que ele ficou completamente cercado. Ele se suicidou. A mensagem aqui é que o escorpião prefere se destruir e se consumir em chamas por sua própria mão - literal ou psicologicamente - a se submeter ao ultimato ou controle de alguém. Eis novamente seu maldito orgulho. "Antes reinar no inferno", como diz Lúcifer no Paraíso perdido de Milton (Milton tinha seu ascendente em Escorpião), "do que servir no paraíso". Se Escorpião realmente chegar a baixar a cabeça, isso quer dizer que ele aprendeu uma das mais valiosas lições de sua vida. Provavelmente, se ele fizer isso, mais tarde vai se vingar três vezes. Em geral, ele se submete àqueles que tem como seus deuses. E às vezes esse camarada enigmático tem uns deuses muito peculiares. Se você encontrar um escorpiano apático e submisso, terá diante de si alguém que se corrói por dentro de furioso ressentimento e inveja, sentimentos que ele próprio muitas vezes desconhece. É aí que se encontra a verdadeira destrutividade, do pior tipo - como as "felizes" famílias em que a mulher calmamente sabota a masculinidade do marido e sobrecarrega os filhos de culpa, vingando-se de uma vida não vivida. A raiva reprimida de um escorpiano não é coisa boa. Ninguém prometeu que seria. Mas todo Escorpião tem coragem de encarar aquilo que está dentro dele e transformá-lo. Como já dissemos, o escorpiano não tem ilusões sobre a vida.


Existe um célebre mito que se adapta muito bem a Escorpião. É um dos doze trabalhos de Hércules. Num dos trabalhos ele é enviado para matar a Hidra de Lerna; além de conseguir êxito e poder, este mito descreve o verdadeiro destino de Escorpião. Hércules é mandado para destruir uma enorme e perigosa criatura que mora numa caverna escura no meio de um pantanal e que devora gente. A Hidra é uma besta parecida com uma serpente, tem nove cabeças, cada uma dotada de dentes com veneno mortal. É como se fosse uma cobra múltipla. E tem mais um detalhe: corte uma dessa cabeças, e nascerão três no seu lugar.

Primeiro Hércules tenta abater mortalmente a Hidra, para depois cortar suas cabeças. Ele está quase terminando seu trabalho, só que o resultado é a proliferação de cabeças. Então ele se lembra do aviso que lhe deu um sábio professor. A Hidra não suporta a luz. Hércules se ajoelha e levanta a criatura até a luz do sol. Ela se contorce e começa a morrer. Só resta uma cabeça, que é imortal e dentro da qual há uma jóia preciosa. Lidar com uma só cabeça é fácil para Hércules. Ele simplesmente a enterra sob uma rocha.

A explicação desse mito não é realmente necessária para Escorpião. Mais cedo ou mais tarde na vida eles geralmente descobrem a Hidra dentro de si. Mais alguns esclarecimento se faz necessário para signos menos instrospectivos. Podemos dizer que a Hidra significa uma série de coisas: ciúme, vingança, inveja, raiva, sexualidade frustada, violência. Escorpião é um signo de desejo intenso, e as muitas cabeças da Hidra podem significar os muitos desejos de um coração humano incivilizado. Se o deixarmos crescer na escuridão, ele pode se tornar venenoso e começar a destruir os outros. Mas eles não podem ser reprimidos, tem de ser entendidos, levados para a luz e respeitados. E mesmo quando vencidos, é bom lembrar que uma cabeça é imortal. Para Escorpião, todo ser humano carrega dentro de si as sementes do bem e do mal. O mal não é algo abstrato, nem culpa de outro; ele está em todo mundo. Não se pode culpar a sociedade pela brutalidade humana, mas apenas a cada um individualmente. É interessante notar que Freud, o grande fundador da psicologia moderna, tinha seu ascendente em Escorpião. É aí que se encontra o mais profundo significado do mito do Escorpião: chegue a um acordo com a Hidra que existe dentro de você e redima o mundo.

Os Astros e o Amor
(Star signs for lovers)
1980
Liz Greene

fonte das imagens: Fátima Costa (my friend)