domingo, 8 de janeiro de 2012

XXXIII


AMOR, agora nos vamos à casa
onde a trepadeira sobe pelas escadas:
antes que chegues, alcançou teu quarto
o verão nu com pés de madressilva.

Nossos beijos errantes percorreram o mundo:
Armênia, espessa gota de mel desenterrada,
Ceião, pomba verde, e Yang Tsé separando
com antiga paciência os dias das noites.

E agora, bem-amada, pelo mar crepitante
voltamos como duas aves cegas ao muro,
ao ninho da longínqua primavera,

porque o amor não pode voar sem deter-se:
ao muro ou às pedras do mar vão nossas vidas,
a nosso território regressaram os beijos.

Pablo Neruda
Cem Sonetos de Amor
Meio-Dia

L&PM Pocket
julho de 2011