domingo, 13 de março de 2011

período elisabetano

SHAKESPEARE | GEOFFREY CHAUCER | FRANCIS BACON | JOHN DONNE | JOHN MILTON


Um reinado de esplendor


POR FÁBIO DE SOUZA ANDRADE

Em 1558 Elizabeth I foi coroada rainha da Inglaterra, inaugurando um período que até hoje é considerado um dos pontos áureos da história inglesa, tanto na política quanto nas artes. Foi nesse período que um jovem interiorano começou a fazer sucesso com suas peças em Londres. Seu nome era William Shakespeare, e ao longo de sua vida escreveu mais de 39 peças que lançaram as bases para toda a literatura de língua inglesa produzida ao longo dos cinco séculos seguintes.
Apesar de não ter sido ele quem deu estatuto literário ao inglês moderno que hoje conhecemos - a realização é atribuída a Geoffrey Chaucer, ainda no século XIV -, Shakespeare fundou a tradição literária que viria a orientar boa parte de toda a literatura ocidental até os dias de hoje.
As letras do período não foram férteis apenas no teatro. Em campos tão distantes quanto a poesia e a filosofia, o gênio inglês também brilhou na virada do século XVI para o XVII. Enquanto Francis Bacon lançava as bases do método empírico nas ciências, John Donne desenvolvia a versão inglesa da poesia barroca.
Após o esplendor elisabetano, a Inglaterra entra em um período de fortes convulsões políticas e sociais que culmina na criação do governo republicano de Oliver Cromwell em 1649, que teve como um de seus porta-vozes John Milton, autor do maior poema épico de língua inglesa de todos os tempos: O paraíso perdido, uma narração do incrível ataque de Satã às forças divinas.