quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Jack Kirby vai à Guerra


Casado há pouco mais de um ano e vivendo certo sucesso na DC, Kirby foi convocado para lutar na Europa. Após o treinamento, desembarcou na Normandia em 1944. O desenhista odiou a disciplina militar e não via a hora de voltar para casa. Como a guerra já se encaminhava para o fim, não se envolveu em muitos combates. Mas passou apuros quando seu comandante descobriu que ele sabia desenhar e o escolheu como batedor para ir às regiões ocupadas criar mapas antes das tropas seguirem adiante. Anos mais tarde, Kirby diria que essas missões solitárias, com grandes chances de encontrar o inimigo, foram as únicas ocasiões de sua vida em que se arrependeu de ser desenhista.

Curiosamente, enquanto Kirby estava no front, dezenas de revistas saíam com seus créditos e os de Joe Simon. Não apenas pelo material que tinha adiantado, mas porque também deixaram instruções precisas sobre os rumos das HQs. A DC chegou a colocar vários desenhistas imitando o estilo de Kirby para produzir as aventuras dos Boys Commandos. Todas as histórias eram assinadas como Simon e Kirby.

Após alguns meses dormindo ao relento e em meio à neve e lama, Kirby sofreu de congelamento nas pernas e foi mandado para um hospital na Inglaterra. Os médicos pensaram em amputar suas pernas, mas ele reagiu bem ao medicamentos e o perigo passou. Em julho de 1945, Kirby deu baixa no exército e finalmente pôde voltar para casa.

Fonte: Mundo dos Super-Heróis - Número 25 - Janeiro/fevereiro de 2011
pág. 26