sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

LXXIII


RECORDARÁS talvez aquele homem afilado
que da escuridão saiu como uma faca
e, antes de que soubéssemos, sabia:
viu a fumaça e decidiu que vinha do fogo.

A pálida mulher de cabeleira negra
surgiu como um peixe do abismo
e entre os dois alçaram ao encontro do amor
uma máquina armada de dentes numerosos.

Homem e mulher talaram montanhas e jardins,
desceram aos rios, ascenderam pelos muros,
subiram pelos montes sua atroz artilharia.

O amor soube então que se chamava amor,
E quando levantei meus olhos a teu nome
teu coração logo dispôs de meu caminho.

Pablo Neruda
Cem Sonetos de Amor
Tarde

L&PM Pocket
julho de 2011