domingo, 11 de janeiro de 2009

Bob Kane


Batman Ganha Asas
Em 1939, um ano após a estréia de Super-Homem, o editor da DC, Vincent Sullivan procurava outro herói fantasiado e pediu ideias ao jovem Bob Kane.
“Fui pra casa naquele fim de semana” – relembra Kane –, “fiz um desenho do Super-Homem e comecei a rabiscar fantasias diferentes. Naquele brainstorm, acabei me lembrando de um esboço de Leonardo da Vinci – o modelo de uma máquina voadora com asas de morcego. Foi daí que a ideia pro Batman germinou! A segunda influência que sofri foi do herói com dupla identidade de The Mark of Zorro (A Marca do Zorro), estrelado por Douglas Fairbanks. E, então, pensei em The Bat Whispers (Os Sussurros do Morcego), um filme de mistério escrito por Mary Roberts Rinehart! Percebi que estava ficando quente. Desenhei um personagem com asas de pássaro e chamei-o de Homem-Pássaro, mas ele não era muito convincente. Então, mudei as asas. Fiz como as de um morcego, e o batizei de Batman (Homem-Morcego)!”
Detective Comics 27, a primeira aparição de Batman, foi uma grande conquista numa carreira que havia apenas começado. “Acho que eu tinha tinta de impressão nas veias” – diz Kane –, “pois desde que me conheço por gente, tinha lápis na mão. Quando eu tinha dez anos, meu pai era impressor do Daily News de Nova Iorque e trazia pra casa todos os quadrinhos do jornal, e eu os copiava constantemente. Chegou o dia em que eu os reproduzia tão bem quanto os próprios cartunistas!”
Este treinamento informal levou o jovem Kane à criação de um dos mais memoráveis personagens do século. “No começo, a gente nunca sabe onde uma criação vai chegar, só torce pelo melhor. Eu sentia que o Batman seria sucesso, mas não tão grande quanto chegou a ser. Estou muito orgulhoso dele!”

Fonte: BATMAN # 1 (setembro/87).