domingo, 25 de janeiro de 2009

Dr. Slump

Como tudo começou

Na página 62 da história, vimos um estranho ser em cima de um coqueiro dizendo: “esta não é a Vila Pinguim”. Pois bem, esta figurinha é o próprio Akira Toriyama, ou pelo menos como ele desenha a si mesmo nos mangás. Sua frase refere-se à série Dr. Slump, que girava em torno dos habitantes da Vila Pinguim. Mas que raio de série é essa?

Se Dragon Ball tornou Toriyama conhecido mundialmente, foi Dr. Slump que fez com que ficasse famoso no Japão. Em 1980, depois de ter feito várias histórias curtas aqui e ali, foi convidado a lançar uma série na revista semanal Shonen Jump, e aí surgiram os amalucados habitantes da Vila Pinguim.


A história começa quando o “genial” Sembei Norimaki cria sua obra prima: Arale, uma garota-robô tão perfeita que acaba integrada à pequena sociedade rural onde ele vive, inclusive indo à escola. Acontece que a menina é mais rápida que uma locomotiva, solta raios pela boca e ninguém na cidade acha isso estranho.

A explicação para esse fenômeno é bem simples: os habitantes da Vila Pinguim são tão ou mais estranhos que Arale. Para se ter uma ideia, uma das pessoas mais normais da série é o próprio Sembei, que apesar de criar robôs perfeitos, é um homem normal de meia-idade que gosta de revistas sukebe e sonha em se casar com a professora de Arale.

Durante os cinco anos em que foi publicada, a série tornou-se um fenômeno entre o público e virou o maior sucesso da Shueisha editora, abrindo caminho para que Toriyama montasse seu próprio estúdio e criasse Dragon Ball.

Em balanço realizado em 1995, Dr. Slump já havia vendido aproximadamente 28 milhões de cópias, o que equivaleria a duas vezes a população do Rio de Janeiro.


Infelizmente, a série não passou nem perto do Brasil. Resta torcer para que alguma TV se anime e traga o desenho. Não custa nada sonhar.

Fonte: Dragon Ball # 1