domingo, 11 de janeiro de 2009

Bill Finger

Surge o Justiceiro da Noite

Em uma entrevista, pouco antes de sua morte, o argumentista Bill Finger relembrou o dia em que Bob Kane lhe falou de um novo projeto.
“Ele havia desenhado um personagem, muito parecido com o Super-Homem, que usava uma pequena máscara e balançava numa corda. Tinha duas asas rígidas e esticadas, como as de um morcego, e embaixo delas estava escrito Batman! Peguei o Dicionário Webster da estante torcendo pra que ele tivesse uma ilustração de morcego e, é claro, tinha! Então eu disse: Olhe estas orelhas. Por que não as duplicamos? Sugeri também que Bob lhe fizesse um capuz pra dar um ar de mistério e cobrir totalmente os olhos. Não gostei das asas e propus uma capa com a bainha recortada. Assim, quando ele corresse, ela esvoaçaria, lembrando asas!”
“Bill é o herói não-celebrado do Batman! Ele realmente refinou a aparência e personalidade do personagem!” – diz Bob Kane.
Os roteiros de Finger deram a Batman os elementos clássicos dos romances policiais que completavam perfeitamente a arte estilizada de Kane. Além de sua imaginação para argumentos, Finger ajudou a criar alguns dos maiores vilões das histórias em quadrinhos – principalmente o Coringa.
“Bill me mostrou uma fotografia de Conrad Veidt no filme The Man Who Laughs (O Homem Que Ri)”! – lembra Kane. “Veidt, de fato, possuía um sorriso maligno e eu aprimorei o rosto do Coringa a partir daquela fotografia!”
O Homem-Morcego teve muitos argumentistas, mas nenhum com a sofisticação poética e a sensibilidade visual de Bill Finger.





Bill Finger (1917-1974) escreveu a primeira e várias das melhores histórias do Batman, assim como as aparições de Robin, Pingüim, Mulher-Gato e Duas-Caras.

Fonte: BATMAN # 1 (setembro/87).