quarta-feira, 8 de abril de 2009

Das mãos

De Midrach Rabba sobre o Eclesiastes:
"Quando o homem vem ao mundo, suas mãos estão sempre fechadas como se quisesse dizer:
'O mundo inteiro é meu, e eu conseguirei agarrá-lo.'
Quando o homem parte do mundo, suas mãos estão sempre abertas, como se quisesse dizer:
'Não tenho nada em meu poder, tudo que posso levar são minhas lembranças, tudo que posso deixar são meus exemplos'."