domingo, 1 de fevereiro de 2009

2009 – O Ano do Búfalo de Terra


Em 26 de janeiro de 2009, o Rato passou a coroa para o Búfalo, que rege o ano que se inicia, com paciência, amor e trabalho.

Com polaridade Yin, o ano começa com a energia tranquila deste que é o mais vagaroso dos animais do zodíaco chinês. Apreciador da paz, da calma, da ordem e da rotina, o Búfalo emprestará suas características ao ano, deixando algumas pessoas muito estressadas. Sabe quando você quer resolver uma coisa, urgentemente, mas a outra pessoa envolvida diz: “Peraí... Tem que ver...”? Pois é... Essa pessoa era um Búfalo...


Pra você que perdeu todas as outras sete edições da Astrologia Chinesa, vale uma rápida explicação. Se você já leu todas, pode pular para o próximo parágrafo. Todo ano é regido por um animal da Astrologia Chinesa. Este animal empresta suas características ao ano, influenciando também os outros signos.

Este será um ano calmo, onde as coisas tenderão a ir mais devagar, mediante análise. Não se irrite se as coisas não saírem quanto você gostaria. Siga o ritmo, tenha paciência. Aliás, paciência é a palavra do ano.

O Búfalo gosta do clássico e do tradicional, do conforto e da ordem. Logo, os caóticos terão mais problemas neste ano. Procure encontrar saídas originais para seus problemas e nada de bater de frente! É um ano em que a diplomacia será muito melhor recompensada do que grosserias. O Búfalo é tranquilo, porém quando se irrita, sai da frente que é estouro de boiada! E ninguém, em sã consciência, quer bater de frente com um búfalo.

É também o ano dos chefes. O Búfalo adora mandar e se você tem um chefe Búfalo, coitado de você! É melhor chegar na hora e trabalhar com uma certa rotina.

Aliás, rotina é uma palavra que pode definir este ano. As pessoas tenderão a seguir um padrão, o que não é ruim de todo, desde que você não deixe que isso dê o tom da sua vida. Basicamente, nós precisamos da rotina pra ter um ponto de referência, pra não enlouquecermos. Mas não podemos ficar escravos dela. Procure ser original e inventivo, mesmo mantendo a tradição.