domingo, 18 de março de 2012

CONTRA A INGRATIDÃO DE NISE


IV

Raios não peço ao Criador do mundo,
Tormentas não suplico ao rei dos mares,
Vulcões à terra, furacões aos ares,
Negros monstros ao báratro profundo:

Não rogo ao deus do Amor, que furibundo
Te arremesse do pé de seus altares;
Ou que a peste mortal voe a teus lares,
E murche o teu semblante rubicundo:

Nada imploro em teu dano, ainda que os laços
Urdidos pela fé, com vil mudança
Fizeste, ingrata Nise, em mil pedaços:

Não quero outro despique, outra vingança,
Mais que ver-te em poder de indignos braços,
E dizer quem te perde, e quem te alcança.

Bocage
O delírio amoroso &
outros poemas
Sonetos Eróticos

L&PM Pocket, vol. 382
junho de 2011

imagem: True Art Gallery
Artist: Roman Garassuta