domingo, 12 de junho de 2011

X-Men: o início

Mutantes voltam em filme focado na amizade dos jovens Professor X e Magneto

Por Gustavo Vícola

Dirigido por Matthew Vaughn (de Kick-Ass) e com estreia planejada para 3 de junho, X-Men: Primeira Classe (no original, X-Men: First Class) será o quinto filme da franquia mutante pela 20th Century Fox. Além da inédita participação de personagens como Destrutor, Banshee e Sebastian Shaw, o filme pretende mostrar como surgiu a equipe liderada por Charles Xavier e joga luz sobre o passado dos mutantes.

Ambientado no começo dos anos 1960, em plena Guerra Fria, X-Men: Primeira Classe tem como pano de fundo a Crise dos Mísseis de Cuba, episódio em que Estados Unidos e União Soviética estiveram muito próximos de uma guerra nuclear.



Em meio a isso, os X-Men enfrentam o grupo de mutantes conhecido como Clube do Inferno. Porém, mais do que mostrar a luta entre mocinhos e bandidos, o filme explora a relação entre Charles Xavier (James McAvoy) e Erik Lensherr, o Magneto (Michael Fassbender), e conta como os dois grandes amigos começaram a divergir até se tornarem inimigos.



Os fãs de HQs deverão estranhar a trama do filme, pois não foi assim que se deram os fatos nas revistas. A verdade é que X-Men: Primeira Classe parece não se preocupar com a fidelidade aos gibis, mas sim em alinhar-se aos filmes anteriores. Mesmo assim, elementos da própria franquia parecem desconsiderados, como disse o produtor Bryan Singer (também diretor de X-Men 1 e 2), na página oficial do filme no Facebook. "Fizemos nosso melhor para manter a continuidade com os outros filmes. Mas, como algumas vezes acontece, para contar uma história convincente, fizemos concessões." Resta saber quais as mais dramáticas...

Uma das previsíveis e maiores discrepâncias entre o filme e os quadrinhos é a formação dos X-Men. Nas HQs, o grupo começou com Ciclope, Jean Grey, Anjo, Fera e Homem de Gelo. Mas, em X-Men: Primeira Classe, a equipe é composta por Xavier, Mística, Destrutor, Fera, Banshee e Magneto. Com exceção de Fera e Xavier, os outros nunca estiveram nos primeiros anos dos X-Men. Banshee e Destrutor, por exemplo, surgiram nas HQs em momentos distintos na década de 1960 e nunca fizeram parte da equipe original. O próprio Magneto só ingressou no grupo no final dos anos 1980, após ter cometido diversos crimes contra a humanidade.

Outra diferença refere-se ao Clube do Inferno, que apresenta pouca semelhança com sua contraparte nos quadrinhos. Apesar de, assim como nos gibis, tratar-se de um pequeno clube de milionários mutantes que almejam a dominação global, sua formação é ligeiramente diferente. Liderado por Sebastian Shaw (Kevin Bacon), o grupo traz Maré Selvagem(1) e Azazel(2), personagens que nunca estiveram ligados ao Clube. Além deles, há Emma Frost (January Jones), que não terá nada em comum com a pergonagem de mesmo nome mostrada em X-Men Origens: Wolverine.



Ao permitir-se discordar de maneira tão radical dos quadrinhos, X-Men: Primeira Classe mostra que a franquia cinematográfica dos mutantes já tem cronologia própria, sendo capaz, portanto, de gerar sozinha suas histórias, sem a necessidade de sincronismo com os gibis. Só não dá pra saber se isso é bom ou ruim para o resultado final do filme.

Fonte: Mundo dos Super-Heróis #27
maio/junho de 2011
pág. 8

(1)Nas HQs, Maré Selvagem fazia parte do grupo de mutantes auto-intitulados Carrascos.
(2)Nas HQs, Azazel e Mística são os pais biológicos do Noturno.