sábado, 21 de novembro de 2009

GAVIÃO NEGRO

DOS ARQUIVOS PARTICULARES DE BRUCE WAYNE NO BATCOMPUTADOR

Katar Hol era o equivalente a um policial em seu planeta natal, Thanagar. Ele e sua mulher, Shayera, vieram à Terra em busca de um criminoso de seu mundo. Para eles, o crime era uma doença, um mal que quase destruiu seu mundo outrora livre de prisões. Essa doença era como um câncer: espalhava-se. Ao tentar contê-la, foram trazidos para a Terra.
Aqui eles adotaram os papéis de Gavião Negro e Mulher-Gavião, reconhecendo a disposição maior de se aceitar um super-herói alienígena do que um caçador alienígena de foragidos. Katar e Shayera, casados em Thanagar, alteraram a pronúncia de seus nomes para se encaixar nos dialetos humanos, tornando-se Carter e Shiera Hall, e tornaram-se membros da Liga da Justiça da América.
Ambos podem voar a grandes velocidades devido a asas artificiais e cinturões antigravitacionais. Embora tenham uma nave thanagariana repleta de armas escondida além da órbita terrestre, foi seu estudo da história e do armamento terrestre que se tornou sua principal paixão. Carter e Shiera agem como co-diretores do Museu de Midway City, uma fachada preparada por seu aliado humano, o comissário de polícia George Emmett.
Talvez a principal razão por que Carter continue na Terra seja o fato de que ele se recorde de um tempo em que não havia crime em seu mundo. Pode imaginar o que o nosso mundo seria caso o crime fosse eliminado? Para mim, essa noção não parece impossível. No entanto, se não for possível, por que, então, lutamos? Será apenas para impedir que o mundo se torne impossivelmente corrupto?


Fonte: JUSTIÇA # 7 (SETEMBRO/2007)