domingo, 30 de outubro de 2011

Touro

Nascidos entre 22 de abril e 22 de maio



O touro Ferdinando, da famosa história para crianças, é uma criatura adorável. Seu divertimento preferido é ficar aspirando o perfume das flores, ouvindo o canto dos passarinhos, desfrutando a brisa do verão. Nosso Ferdinando não faz grande coisa, contenta-se com pouco e está à vontade em seu pasto. Mas chega um dia em que se senta numa flor com uma abelha... e você pode imaginar o resto. O touro Ferdinando é um perfeito taurino, e a história de muitos taurinos se desenrola da maneira como foi contada acima - o prazer de estar no campo sentindo o cheiro das flores; mas há sempre uma maldita abelha.



Touro é regido pelo planeta Vênus, a deusa do amor e da beleza na mitologia. É também a mais indolente das deidades do Olimpo, preferindo seus numerosos prazeres a qualquer trabalho que possa ser desagradável. Tudo isso descreve bem um dos aspectos da natureza de Touro. Algumas palavras o definem: paz, serenidade, prazer, calma, estabilidade, afabilidade. A famosa paciência do Touro não é como a paciência do Capricórnio, construída à base de disciplina e cinismo. É a paciência da natureza, como a paciência da própria Terra, serena e vivendo cada dia pelo prazer que obtém, enquanto o amanhã - desde que se garanta que amanhã será como hoje - é esquecido.



É claro que existem outros aspectos de Touro. De certa maneira você pode situar os taurinos numa das duas fases de sua vida: antes e depois do mais pavoroso aspecto da vida do Touro, aquilo que vai realmente contra a sua natureza, as mudanças.

O que se costuma associar tradicionalmente a Touro é seu desejo de segurança e de estabilidade material. E não há dúvida de que Touro gosta de ter uma segurança palpável, imutável - como barras de ouro, valiosos móveis antigos ou um lindíssimo Ferrari. Riquezas abstratas, imobilizadas em investimentos, ou riquezas de natureza incorpórea (tais como conhecimento, autoconhecimento, amigos e outras menos tangíveis) não são verdadeiras riquezas para Touro. Segurança é aquilo em que se pode confiar. Aquilo em que você pode confiar é o que não muda, não é corroído, não o deixa, não desaparece, nem depende dos outros para ter valor. Uma vez possuindo tais riquezas, o Touro pode descansar. Na maioria das vezes, descansa tanto que nem se mexe mais.



Existe outro aspecto para esse impulso que leva Touro a construir sua segurança e que está relacionado com seu modo de encarar a vida. Quando discutimos o elemento terra em geral, mencionamos que ele lida com a realidade - realidade concreta e tangível. Touro, o primeiro dos signos de terra, tem um ponto de vista "realista" por excelência; ele nunca é loucamente idealista, nunca é ingênuo a respeito das necessidades e das exigências da vida comum. Um Touro de verdade tem sempre um olho fixo naquilo que pode sustentá-lo e preservá-lo na vida. Ele é sempre realista em suas metas, sempre coloca o "chapéu onde pode alcançá-lo". Por si mesmo, Touro não e um signo ambicioso. Ele pode ficar muito feliz, sem aparecer, por trás do pano; ele seria o investidor, o financista, o que mantém o negócio em andamento sem receceber os louvores públicos. Touro é tão realista que sabe que os louros da vitória não servem para comer nem para tampar as goteiras do telhado. O outro lado da moeda é que, com tanto realismo, Touro muitas vezes perde aquilo que não é visível através de seus olhos terrenos. Ele valoriza a simplicidade e os fatos fundamentais, mas muitos aspectos da vida não são nem simples nem podem ser enquadrados em fórmulas. Podemos chamar a isto de Síndrome do Chato Pragmático. Ele é chato principalmente porque, se não puder dominar a situação, nada tem a dizer sobre o assunto. Nem se cogite naquelas margaridas que fazem bem à alma. Um diálogo com ele poderia transcorrer como se segue:

AMIGO DO TOURO: Tenho uma ideia maravilhosa. Sabe aquele romance no qual eu estava trabalhando? Pensei que daria um bom roteiro para um filme. Todas as cenas de batalhas seriam rodadas à noite, à luz de tochas, com fogos de artifício espocando por todos os lados e... um efeito dramático formidável! E com trajes do século XV...

TOURO: Não sei por que você pensa em tudo isso, se não vai ganhar nenhum dinheiro com tal projeto.

AMIGO: Bem, no momento não, mas com um pouquinho de sorte, posso pedir uma ajuda a um amigo...

TOURO: você nunca vai conseguir entrar no negócio de cinema. Ele é altamente competitivo, e depois, para que mais um drama histórico? Quem quer saber de história nos dias de hoje? Isso já era. Não vejo por que gastar tanta energia nisso.

AMIGO: História já era? Não senhor! Hoje em dia tem uma série de significados simbólicos...

TOURO: Simbólicos? O que é isso? Ou alguma coisa já era, e morreu, ou não. Não entendo o que você está dizendo. Por que você não faz alguma coisa que possa lhe render algum dinheiro?

Esse diálogo pode ter diversas versões. Como aqui, pode se aplicar à completa falta de compreensão quanto ao que é simbólico, romântico, dramático. Touro gosta de carne com batatas simples, sem molho. Têm, evidentemente, de ser da melhor qualidade, mas ele não gosta de enfeites complicados; também não gosta de opções. Para que alguma coisa seja bem real para Touro, ela tem de ser mais do que possível - tem de ser definida.



Outras versões para este diálogo ocorrem em qualquer área em que a realidade física não seja imediatamente aparente. Muitos taurinos são notoriamente céticos a respeito de tudo o que consideram "místico" - como a astrologia, por exemplo. Notei, por mais de uma década em que venho ensinando astrologia, que há cada vez menos taurinos em meus cursos do que pessoas de qualquer outro signo. Há também poucos leoninos, que provavelmente estarão estudando sozinhos, pois eles não gostam de aprender com ninguém. Mas Touro tomará muito cuidado com algo como a astrologia, enquanto não puder provar científica e definitivamente que ela funciona, e isto, não uma só vez, mas muitas vezes, porque uma vez só poderia ser um acaso.


Continua...