quinta-feira, 13 de maio de 2010

Elite estelar

Formada há bilhões de anos, A Tropa dos Lanternas Verdes patrulha o Universo e combate o mal


Criada por John Broome (roteiros) e Gil Kane (desenhos), a primeira aparição da Tropa dos Lanternas Verdes aconteceu na revista Green Lantern 11 vol. 2 (1962). Mas o conceito do grupo está presente desde Showcase 22 (1959), quando o alienígena Abin Sur entregou seu anel a Hal Jordan e explicou que fazia parte de uma equipe de patrulheiros espaciais.


Nas histórias mostradas em Green Lantern, a Tropa foi criada há três bilhões de anos pelos Guardiões do Univers, uma raça que vivia no planeta Maltus, mas se mudou para Oa, planeta situado no centro do Universo, onde desenvolveram sua tecnologia em níveis avançados, antes que a maior parte das civilizações tivesse nascido.
Os oanos também desenvolveram habilidades como telepatia, telecinésia e manipulação de energia. Mas a antiga raça se viu dividida quando Krona, um dos seus cientistas, construiu uma máquina que dava acesso ao princípio dos tempos, um conhecimento considerado proibido.
Por um portal aberto pela máquina, Krona observou uma mão gigantesca envolvendo todo o cosmo. Nesse instante, a máquina explodiu e dividiu o universo em dois: um de matéria e outro de antimatéria. Os oanos assumiram a responsabilidade pelo ato e decidiram conter todo mal que pudesse ameaçar o Universo. Para essa tarefa, criaram guerreiros a partir de lagartos alterados geneticamente. Mas o temperamento dos répteis os fez abandonar o projeto. Esses lagartos se tornaram a raça chamada psíons.
Numa segunda tentativa, os oanos deram vida aos Caçadores Cósmicos, androides que também se rebeleram. Esses fracassos dividiram os oanos em três facções: os pacíficos, que desejavam restabelecer a ordem sem violência; os radicais, que defendiam a destruição do mal; e as oanas, que preferiam não se envolver. As oanas deixaram Oa e se estabeleceram no planeta Korugar, formando o grupo chamado Zamaronas. Os radicais, também chamados Controladores, partiram para outra dimensão. Os pacíficos se tornaram os Guardiões do Universo.
Por fim, os Guardiões decidiram usar seres racionais e dividiram o Universo em 3.600 setores. Para cada setor, convocaram os seres mais honestos e capazes de superar seus medos. A cada ser escolhido foi dado um anel capaz de criar formas sólidas de energia, cujo único limite seria a criatividade e força de vontade de seu detentor. Os escolhidos também receberam uma bateria para carregar os anéis a cada 24 horas, cuja energia provinha da Bateria Central de Oa, em formato de lanterna. Por causa do formato da bateria e da cor dos uniformes, os membros da tropa foram batizados de Lanternas Verdes.
Os anéis dão aos usuários a capacidade de voo, cria campos de força e permite a comunicação em qualquer linguagem extraterrestre. A única fraqueza é não ter efeito contra nada de cor amarela. Isso acontecia por conta de uma impureza na Bateria Central. Foi revelado que essa impureza era um criatura chamada Parallax, a própria personificação do medo, que foi aprisionada pelos Guardiões dentro da bateria. Atualmente, essa fraqueza foi eliminada.
A tropa sempre fez suas aparições no título do Lanterna Verde e só ganhou revista própria em 1986. Naquela época, a revista do Lanterna mudou de nome para Green Lantern Corps. O título foi cancelado em 1988, na edição 224.



A Tropa foi desmantelada na década de 1990 por Hal Jordan, durante o arco Crepúsculo Esmeralda, quando ele se transformou em Parallax e, enlouquecido, matou os guardiões e diversos membros da Tropa. O grupo só retornou durante a minissérie Green Lantern Corps: Recharge (2005). No ano seguinte, foi lançado um novo título regular que dura até hoje.

Por Eduardo Marchiori

Fonte:
Mundo dos SUPER-HERÓIS # 21
Abril/Maio de 2010
págs. 26 e 27