quarta-feira, 1 de outubro de 2014

NAMOR

Fantastic Four (1961) 4-A
Comic Book by Marvel, May 1962

Com o sucesso do Quarteto Fantástico, Stan Lee pensou em relançar um dos antigos personagens da editora Timely, nome usado pela Marvel no final da década de 30. A ideia ganhou forma na edição 4 de 1961 de Fantastic Four, quando Johnny encontrou um estranho mendigo amnésico. Ao usar suas chamas para fazer a barba e cortar o cabelo do mendigo, o Tocha descobriu que ele era, na verdade, Namor, o soberano do reino de Atlântida, desaparecido desde a 2a. Guerra, quando lutou contra os nazistas. Dessa forma, Lee criou uma explicação para os anos em que o personagem não apareceu nas HQs.

Com a memória recuperada, Namor voltou para Atlântida e só encontrou ruínas. Culpando os testes nucleares pela destruição de seu reino, o atlante declarou guerra ao povo da superfície e se tornou um vilão recorrente nas histórias do Quarteto. Além de enfrentar os heróis, Namor também disputava com o Senhor Fantástico o coração de Sue Storm que, até se decidir em definitivo por Reed, vivia um quase triângulo amoroso entre o mocinho elástico e o vilão submarino. 

Mas Namor se regenerou quando descobriu que seu povo estava vivo e havia se tornado nômade depois que a Atlântida foi destruída pelo vilão Paul Destino. O príncipe desistiu de sua luta contra a superfície e reconstruiu seu reino. Anos depois se tornou um vingador a pedido do Capitão América, que lutou ao seu lado na Segunda Guerra, e chegou até a fazer parte dos Defensores.

Apesar de ter perdido Sue para Reed, Namor sempre ofereceu sua ajuda ao Quarteto, além de tentar uma aproximação da Mulher Invisível em todas as vezes que ela se separou de Reed.

Por André Morelli

Pág. 29 - Mundo dos SUPER-HERÓIS 5