sexta-feira, 12 de novembro de 2010

CAPITÃO MARVEL



Billy Batson não é o Capitão Marvel. Na verdade, ele se transforma no Capitão Marvel. Como Clark e eu, Batson é órfão. No entanto, diferente de mim e de Clark, Billy ainda é uma criança. Talvez por isso sua história lembre mais um conto de fadas. Ele não teve um lar que lhe foi tomado. Era um garoto de rua, visitado por um estranho misterioso e levado para um lugar secreto onde havia as sete fraquezas primárias do homem. Lá ele foi apresentado a um mago, que lhe concedeu poderes mágicos para combater as fraquezas humanas – dons derivados do nome do mago – SHAZAM. Quando diz a palavra mágica, o nome do Mago, Batson se transforma num adulto com a sabedoria mitológica de Salomão, a força de Hércules, o vigor de Atlas, o poder de ZEUS, a coragem de Aquiles e a velocidade de Mercúrio.

O Capitão Marvel pode voar. Com uma compleição semelhante à do Superman, Batson também lembra muito Clark Kent. Ele descobriu as necessidades ao redor do mundo, trabalhando como o mais jovem radialista numa estação local. Sua irmã, Mary, também recebeu poderes. E há outros que compõem a mitologia estabelecida pelo feiticeiro. Há uma espécie de família Marvel, como se as batalhas forjassem uma comunidade.

Às vezes eu me indago o que teria acontecido se Billy tivesse um pai por perto. Ele teria se tornado o mortal mais poderoso do mundo? Ou teria sido proibido de se tornar um herói? Eu me pergunto se o mesmo poderia ser dito de mim.

DOS ARQUIVOS PARTICULARES
DE BRUCE WAYNE NO
BATCOMPUTADOR


Fonte: JUSTIÇA # 09Novembro de 2007