terça-feira, 2 de março de 2010

MARVELS, O GRANDE SALTO

Criador

Alex Ross

Por Maurício Muniz

Pouco antes de começar a trabalhar em sua proposta do Homem de Ferro, Ross mostrou a Busiek algumas pinturas que fizera com os personagens da Marvel e que, imaginava ele, poderiam render uma revista com histórias curtas estreladas pelos heróis da Casa de Ideias. Busiek, porém, achava que o conceito poderia ser melhorado e, a partir daí, criou a história de Phil Sheldon, um fotógrafo que presencia a maioria dos eventos importantes da história da Marvel entre o início dos anos 40 e o final dos 60.
Enquanto apresentava o projeto chamado Marvels a Tom DeFalco, editor-chefe da empresa. Ross foi convidado a fazer uma história curta para a revista Hellraiser. Apesar de não gostar daquele material de terror, ele aceitou ilustrar a história numa tentativa de angariar simpatia para seu projeto. Se isso influiu, não se sabe. Mas, após pedir algumas alterações, DeFalco aprovou Marvels, mesmo sendo algo tão diferente do que se fizera em quadrinhos até então.
A minissérie em quatro partes foi lançada em 1994 com um sucesso estrondoso. Apresentando arte fantástica e um roteiro inteligente e emocionante, mostrava fatos como a chegada de Galactus à Terra e a morte de Gwen Stacy sob uma ótica realista e inovadora, tornando-se um marco. Todas as edições tiveram múltiplas tiragens e a série recebeu inúmeros elogios da crítica especializada. No ano seguinte, Marvels ganharia um punhado de prêmios Eisner e Harvey, entre eles os de melhor minissérie e melhor ilustrador, além de várias outras indicações.
Marvels transformou Busiek e Ross, mais do que merecidamente, em superastros da indústria de quadrinhos.


FONTE:
MUNDO DOS SUPER-HERÓIS # 8
JANEIRO/FEVEREIRO 2008
pág. 46

Veja também:
ALEX, o grande
PRIMEIROS TRABALHOS COM HQs
TENTATIVAS E CANCELAMENTOS